Sem categoria

Curti!: Babilônia chegou com tudo!

Fiquei um bom tempo olhando para monitor do meu computador tentando lembrar algo que eu não tivesse gostado no primeiro capítulo de Babilônia. Não é possível que tudo tenha me agradado… Deixei passar algum detalhe… Talvez a atuação meio mecânica de Val Perré, como Cristóvão. Não, implicância pura. Ele pode não ter sido um Denzel Washington, mas também não chegou ao “nível” de Júlio Rocha! Tá, não gostei da abertura. Faltou impacto, apesar de ter a tudo a ver com a trama… Oh, céus, desisto. Gostei de absolutamente tudo na estreia de Babilônia.

O inesperado beijo entre Estela (Nathalia Timberg) e Teresa (Fernanda Montenegro), logo no início do capítulo, me arrebatou pela delicadeza com que foi feito. Como era de se esperar, pipocaram pela internet comentários preconceituosos e travestidos de revolta pseudo religiosa, mas nada irá apagar a beleza da cena. Só por ela, Gilberto Braga, Ricardo Linhares e João Ximenes Braga já teriam recebido meus aplausos entusiasmados.
Mas Babilônia teve muito, muito mais. Para começar, Gloria Pires. Que ela é uma atriz incrível, todo mundo já sabe. Mas, na pele da tarada Beatriz, Gloria atingiu a plenitude. Sua interpretação é soberba e dificilmente não levará todos os prêmios de melhor atuação de 2015. E olha que ela tem Adriana Esteves como parceira/rival. Apesar de um Q de Carminha (de Avenida Brasil, 2012) circular Inês, Adriana se jogou na amargura da personagem e fez cenas incríveis. Seus embates com Gloria foram maravilhosos e prometem fazer a alegria do público. 
Fiquei preocupado com Camila Pitanga. Boa atriz, linda de viver, ela terá uma pedreira pela frente. Por mais que Regina não seja uma mocinha boboca – tanto que vai virar a cara da Inês ao avesso com um tabefe -, será muito complicado enfrentar duas vilãs tão complexas e cheias atrativos quanto Beatriz e Inês. Camila teve química com Gabriel Braga Nunes (o sedutor Luís Fernando) e espero que ela se repita com Thiago Fragoso, quando o galã entrar na história, já que Vinícius será seu par romântico.
Imagens lindas, ótimas atores, autores inspirados e um Dennis Carvalho endiabrado na direção com sua equipe, Babilônia chegou chegando e arrebatando a galera. E olha que foi apenas o primeiro capítulo… 

3 comentários em “Curti!: Babilônia chegou com tudo!”

  1. Sem desmerecer os talentosos Ricardo Linhares (Autor de “MEU BEM-QUERER-1998) e o João Ximenes Braga (Autor de “LADO A LADO”),mas “BABILÔNIA” é mesmo do GILBERTO BRAGA!…-Há quanto tempo não se via uma estréia tão sensacional e um primeiro SUPERCAPÍTULO tão inteligente,tão bem apresentado e tão de tirar o fôlego?…Como disse Nílson Xavier em seu blog,o capítulo 01 de “BABILÔNIA” foi (E sempre será!) uma verdadeira aula de roteiro! PERFEITO!Com diálogos e imagens de cinema e uma apresentação sutil,as histórias das protagonistas da trama foram apresentadas (E entrelaçadas!)de uma forma tão natural e tão diretas,que tive a ligeira sensação de estar acompanhando a história de cada uma bem antes de a novela começar,com o “agravante” d’eu não ter visto sequer nem mesmo uma chamada da novela! Gilberto Braga é mesmo um craque! Não por acaso é chamado de o sucessor de Janete Clair,com todos os seus “cacoetes” e “estratégias” para segurar o telespectador diante da TV.GLÓRIA PIRES(“Beatriz”),em sua melhor forma,nos mostrou sofisticação e um super talento em cada arquear de sobrancelhas e mais ainda a cada vez que abriu a boca.Glória é dessas atrizes que somente com o olhar já “derruba” o colega e rouba a cena.De “coroa sexy” ali eu não vi nada.O que enxerguei em cada cena foi uma atriz madura,cria da TV,que chegou e arrebentou,chamando para si todas as atenções.Um show de interpretação! Em nada lembrou a “NORMA” de “INSENSATO CORAÇÃO”,que,a bem da verdade,nunca entendi.ADRIANA ESTEVES (“Inês”),que por um segundo ainda me fez lembrar a Carminha de “AVENIDA BRASIL”,retornou ao vídeo no momento certo,e num papel ímpar.(É bem capaz de deixar de lado a capa de vilã para se transformar na verdadeira mocinha da trama.Quem sabe? Novela é obra aberta e foi isso que ela me passou!)Até retiro dela a “alcunha” de vilã.O que Gilberto Braga mostrou com a personagem,foi uma “Maria de Fátima Acioly” já casada,com profissão definida e uma filha adolescente.Em busca de ascensão social,e com a certeza de que se reencontrasse a “velha amiga(?)” de adolescência (BEATRIZ),”Inês” teria sua vida mudada e catapultada ao mundo dos ricos,seu maior sonho.Reencontrando a amiguinha de velha data,eis que nossa advogada sem clientes e alpinista social, é terrivelmente enxovalhada e humilhada; e,claro,à partir daí o que era paixão/admiração,num estalar de dedos se transformou em ódio,o que achei natural.Se o autor buscou um “pretexto” para transformar a personagem numa vilã,a situação caiu como um prato cheio.E que prato saboroso!!! Mais uma vez,perfeito!!!CAMILA PITANGA (“Regina”),como toda mocinha pobre que é enganada por um malandro,não teve brilho, mas a atriz se esforçou para convencer como heroína romântica,meio mulher difícil,e até certo ponto ingênua.Acho que no Rio de Janeiro (RJ) de 2005, a mulherada,principalmente a“da gema”,jamais se deixaria levar pelo papo barato do malandro “Luís Fernando” (GABRIEL BRAGA NUNES);muito pelo contrário.Rsrsrsrs…Mas estamos falando de uma obra de ficção,não é?…E embora a história de toda mocinha seja sempre uma “receita de bolo” de massa preparada,talvez sua trama surpreenda.Quem sabe? Mas mesmo que nossa heroína não diga mesmo a que veio,por si só,GLÓRIA PIRES já segura toda a novela,tal qual aconteceu em “O DONO DO MUNDO” (1991),do mesmo Gilberto Braga.FERNANDA MONTENEGRO (“Teresa”) e NATHÁLIA TIMBERG(“Estela”) -(Por que será que Gilberto Braga sempre usa os mesmos nomes de personagens para suas novelas,Nílson Xavier? ),deram um show,como fazem em qualquer novela e em qualquer papel.A idéia de uma história forte de amor homossexual na terceira idade foi o que posso chamar de reinventar-se,uma vez que todos os autores,quando tratam do assunto,só escrevem a mesma história e sempre há um jovem no meio,cheio de indecisões,do tipo: “Dou ou não dou?” “Sou ou não sou?” .Chega disso,não? Bárbaro! E que beijo lindo! Mais ternura,impossível!Ave,Gilberto Braga! Tinha de ser você! E essa história de amor veio no momento certo.Perfeitíssimo!!!Ave,Gilberto Braga!

    Curtir

Deixe uma resposta para Giselle Guimaraes Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s